November 4, 2019

October 31, 2019

October 29, 2019

October 23, 2019

Please reload

Posts Recentes

Brincar ao ar livre só faz bem

October 16, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

Saiba como ajudar seu pequeno(a) a não ter medo de ir ao Dentista.

October 25, 2017

 

Para garantir uma boa visita ao dentista, vale se lembrar dessas dicas:

 

 

 

- Leve a criança ao dentista regularmente para uma consulta de prevenção. Isso ajuda no comportamento futuro, pois ela percebe que o dentista é amigo, e não uma ameaça.


- Em casos em que a criança tenha alguma lesão de cárie, o ideal seria usar abordagens menos agressivas, como é o caso do Tratamento Restaurador Atraumático (ART). Nesse tipo de procedimento, são utilizados somente instrumentos manuais (sem o motorzinho), reduzindo a ansiedade da criança.


- Explique que o dentista vai cuidar da boca dela, que se preocupa com ela, assim como o pediatra. 


- Leve a profissionais especializados em atender crianças. 


- Oriente as pessoas que têm contato com a criança, inclusive primos, a não brincar que o dentista vai arrancar o dente dela com alicate. 


- Leve a criança a uma de suas consultas no dentista, para você servir de exemplo.

 

- Nunca minta, dizendo que vão ao parque e leve a criança ao dentista. Isso gera a desconfiança no pequeno que não vai entender o porquê da mentira. 


- Nunca faça ameaças ou crie expectativas não reais. Por exemplo: o dentista tem uma injeção enorme, se você não ficar quieto na consulta, vou pedir para ele usar.

 
- Nunca amedronte as crianças com frases do tipo “se você não comer tudo, te levo ao dentista para ele te dar uma injeção”, ou “se você não se comportar, te levo ao dentista”. 


- Nunca compartilhe com os filhos suas experiências negativas no dentista, isso vai aumentar a ansiedade do pequeno. 


- Evite açúcar na alimentação da criança. Criança até dois anos de idade não deve ter contato com o açúcar, segundo a Organização Mundial da Saúde. 


- Chorar é normal, a criança chora até para cortar o cabelo. Não entenda o choro como um medo, um trauma, uma dor. Elas choram porque preferiam estar brincando, porque não querem ficar quietas na cadeira, porque estão cansadas. Evite falar “não chore”, respeite e apoie explicando como aquilo vai ajudá-la.

 

Fonte: Terra 

Tags: